UFC

Vídeo: Luta completa UFC 217 – Cody Garbrandt vs. TJ Dillashaw

Leal a si mesmo, TJ Dillashaw foi atrás do que era melhor para ele e trocou o time que o revelou pelo treinador que o transformou em campeão. Sua decisão foi vingada neste sábado, com a vitória por nocaute sobre o ex-companheiro de equipe Cody Garbrandt por nocaute, aos 2m41s do segundo round do coevento principal do UFC 217, no Madison Square Garden de Nova York. Com o triunfo, recuperou o cinturão dos pesos-galos, que havia perdido para Dominick Cruz em janeiro de 2016 – Garbrandt o tomou de Cruz em dezembro de 2016.

Após seguir Duane Ludwig, ex-treinador principal da Team Alpha Male, ao Team Elevation no Colorado, TJ Dillashaw disse que buscava evoluir no MMA e que sentia que o técnico era quem mais exigia dele. Seus ex-colegas, particularmente Garbrandt, o acusaram de ser um traidor. O clima quente que marcou toda a promoção da luta esteve presente na encarada antes do início da luta, quando o árbitro Dan Miragliotta ditava as instruções. O campeão Garbrandt disse que ia “f***” o rival, e se recusou a tocar suas luvas.

Quando a luta começou, porém, os dois se estudaram e não pareciam lutar com a emoção demonstrada durante toda a promoção da luta. Foram poucos chutes baixos e cruzados sem maiores pretensões nos minutos iniciais. Garbrandt enfim soltou as mãos quando viu Dillashaw se aproximar demais para um chute baixo. Ele combinou cruzados e perseguiu o ex-campeão até o córner, mas TJ escapou sem maior estrago. “No Love” se empolgou e chamou o adversário para cima, mas o desafiante manteve-se frio e fiel à estratégia de se movimentar e usar chutes baixos e à meia altura para preparar seus ataques. Nos segundos finais, um cruzado de resposta do campeão derrubou Dillashaw, mas ele parecia estar bem no soar da sirene.

O bom momento fez Garbrandt se encher de confiança. Antes do início do segundo round, ele já provocava à distância. Ao esquivar um chute alto, “No Love” fez como em sua luta contra Dominick Cruz e zombou do oponente, imitando um toureiro. Dillashaw passou a buscar mais o ataque. Quando a torcida começou a provocá-lo com gritos de “F***-se TJ”, o ex-campeão mostrou seu alto nível e acertou um chutaço alto de esquerda que derrubou Garbrandt. “No Love”, porém, também se recuperou rapidamente e se levantou, mas Dillashaw ganhou confiança. Numa troca franca de golpes, o americano acertou um duro cruzado de direita que mandou Garbrandt à lona. Ele partiu para cima e deu marretadas na cabeça para liquidar a fatura.

Numa descarga de adrenalina, Dillashaw parou frente ao adversário e soltou um berro de desabafo, após meses ouvindo sobre como fora nocauteado por ele em treinos. Pouco depois, mais calmo, ele abraçou o rival e tentou encerrar a rivalidade.

– Eu estava só gritando, estava empolgado. (Depois, disse) Parabéns, cara, foi uma grande luta. Você é jovem, você vai voltar, e vou vê-lo de novo – contou Dillashaw.

Garbrandt reconheceu os méritos do ex-companheiro e o aplaudiu, mas o clima quente permanecia presente: um integrante da equipe de Dillashaw subiu na grade e o provocou, e o já ex-campeão precisou ser contido para não brigar. O integrante não identificado foi retirado de onde estava.

Feliz por recuperar seu cinturão, Dillashaw não parou por aí: desafiou Demetrious Johnson, campeão dos pesos-moscas, logo em seguida – Johnson havia recusado enfrentá-lo em sua 11ª defesa de cinturão da categoria, que estabeleceu o recorde do UFC.

– Demetrious Johnson, estou indo atrás de você! Você fugiu de mim, mas eu vou atrás de você parar com seu recorde! – disparou Dillashaw.

UFC 217
4 de novembro, em Nova York (EUA)
CARD PRINCIPAL:
Georges St-Pierre venceu Michael Bisping por finalização aos 4m23s do R3
TJ Dillashaw venceu Cody Garbrandt por nocaute aos 2m41s do R2
Rose Namajunas venceu Joanna Jedrzejczyk por nocaute técnico aos 3m03s do R1
Stephen Thompson venceu Jorge Masvidal por decisão unânime (30-26, 30-27 e 30-27)
Paulo Borrachinha venceu Johny Hendricks por nocaute técnico a 1m23s do R2
CARD PRELIMINAR:
James Vick venceu Joe Duffy por nocaute técnico aos 4m59s do R2
Mark Godbeer venceu Walt Harris por desclassificação aos 4m29s do R1
Ovince St-Preux venceu Corey Anderson por nocaute aos 1m25s do R3
Randy Brown venceu Mickey Gall por decisão unânime (29-28, 29-28 e 29-27)
Curtis Blaydes venceu Alexey Oliynyk por nocaute técnico a 1m56s do R2
Ricardo Carcacinha venceu Aiemann Zahabi por nocaute a 1m58s do R3

Fonte: sportv.globo.com/site/combate/

Imagens: Getty Images

Share this post

ApolloMarcelo

Pai do Ric, Diretor de Arte, Faixa-roxa de Jiu-Jitsu, Matador de Orcs e Administrador de um site sobre MMA 😎

No comments

Add yours